yupi!

Tão bom que isto é...

 

7. O Expresso sabe, também, que em casos muito excepcionais, há notícias que mereciam ser publicadas em lugar de destaque, mas que não devem ser referidas, não por auto-censura ou censura interna, mas porque a sua divulgação seria eventualmente nociva ao interesse nacional. O jornal reserva-se, como é óbvio, o direito de definir, caso a caso, a aplicação deste critério.

 

Até daqui se vêm quais são os interesses nacionais que o Expresso (e o restante grupo Impresa) vão defender. assim vale a pena! ao menos sabe-se ao que se vai... o que já é bom, nos tempos que correm!

publicado por DA às 15:14 | link do post | comentar